História

SÍNTESE HISTÓRICA

          Em 19 de abril de 1923, um grupo de irmãos batistas (13 pessoas), liderado pelo missionário W. C. Taylor, sentindo a necessidade de um trabalho mais eficiente, organizou-se em igreja, cujos trabalhos  eram realizados no casarão nº 1461 da Rua Visconde de Goiana, hoje rua Dom Bosco, em frente ao Colégio Americano Batista.
          Aquela Igreja cuja primeira diretoria ficou assim constituída, Pastor e moderador, Reverendo J. L. Dawning; Secretária, Adalgisa Wanderley; Tesoureiro, Reverendo R. S. Jones; Superintendente da EBD e auxiliar do Pastor, seminarista Acácio Vieira Cardoso, cresceu sob as bênçâos de Deus, tendo de fazer, mais tarde, ampliações substanciais na velha casa de cultos, adaptando-a as necessidades do trabalho que se desenvolvia rapidamente.

          Em janeiro de 1930, era eleito Pastor Interino, o jovem pregador da Palavra, Reverendo José Munguba Sobrinho, promissor talento que já despontava na denominação Batista, recém-chegado do Estado do Amazonas, onde por 11 anos fora pastor da Primeira Igreja Batista de Manaus.  Em 6 de julho do mesmo ano, era confirmado no pastorado efetivo da Igreja, em substituição ao Pastor R. S. Jones, missionário americano que se retirava do Brasil. Jovem talentoso e idealista, orador sacro vibrante, estilista polemista e escritor, Pastor Munguba conduz o seu rebanho de vitória em vitória.  As organizações internas da Igreja desenvolvem-se rapidamente.  A Mocidade se dinamiza sob a liderança de jovens como Edésio Guerra, Fernando Wanderley, Roberto Jardine e outros.  A velha casa de cultos sofre adaptações e ampliações, a fim de atender ao crescimento do trabalho.  A Igreja se projeta no cenário evangélico batista nacional.  Coincidentemente o progresso da cidade exige o sacrifício do seu velho templo.  Aquele velho casarão adaptado, avaliado em 50 contos de reis, quando de sua aquisição é, agora, indenizado pela Prefeitura do Recife pela substancial importância de Cr$ 2.000.000,00! O Pastor Munguba, com o seu idealismo cristão e ampla visão do trabalho, empolga a Igreja com a construção de um Templo que viesse atender não somente às necessidades internas da comunidade mas, também, ao trabalho da denominação em geral.  Assim é que concebe, projeta e leva a Igreja a construir um Templo, nos moldes do que hoje temos. 
         Em 1967, o Pastor Munguba deixa o pastorado da Igreja por força da aposentadoria, assumindo, interinamente, o Pr. Lívio Lindoso.  Pr. Manfred Grellert  assume o pastorado em 1970.  Veio do Sul do País para assumir o magistério teológico no Seminário do Norte e pastorear a Igreja da Capunga.  Desenvolveu um profícuo ministério até o primeiro semestre de 1980 quando, a 26 de dezembro daquele, assume a direção da Igreja, o Pastor José Almeida Guimarães.  Com sua experiência como pastor, professor e profundo conhecedor das lides denominacionais, Pr. Guimarães desenvolveu um excelente ministério, permanecendo à frente do rebanho capunguense até o mês de setembro/2006.
          Em outubro de 2006, assumiu o pastorado titular da Igreja o Pr. Ney Silva Ladeia, compondo a equipe ministerial com os pastores Esdras Gaspar, no Ministério da Administração, Benevando Farias, no Ministério de Apoio à Pessoa com Deficiência e Elio Morais, no Ministério de Missões e Evangelização.  Fazem parte de seus auxiliares os Ministros de Música, Prof. Apolônio Guilherme de Ataíde Júnior, e de Educação Religiosa, Profa. Lenira Fernandes de Luna.  
           Em outubro de 2017, o Pr. Ney Ladeia deixa o pastorado na Igreja da Capunga para assumir um novo ministério na Junta de Missões Mundiais da Convenção Batista Brasileira.
           Atualmente a Igreja Batista da Capunga está em processo de sucessão pastoral. A Igreja tem sido dirigida pelo Primeiro Vice-presidente, Diácono Wagner Andrade, com a seguinte equipe ministerial: Pr. Benevando Farias, ministro de Apoio à Pessoa com deficiência, Profa. Fança Cleia Borges de Souza, ministra de Educação Cristã, Pr. Apolônio Lins Cavalcanti e Profa. Cássia Cavalcanti, ministros da Família, Pr. Ronaldo Robson Luiz, ministro de Integração, Pr. Roberto Santos, ministro de Missões, e, Prof. Apolônio Guilherme de Ataíde Júnior, ministro de Música.
        Louvamos a Deus pelas inumeráveis bênçãos que nos tem prodigalizado, ao tempo em que renovamos nossos compromissos de fazer o Seu nome conhecido e reverenciado.
            Capunga, um lugar para viver e servir!

Galeria de pastores

Fotos Históricas